QUER EDUCAR O SEU CÃO? UM TREINO POSITIVO COM ALEGRIA? TREINO DE OBEDIÊNCIA COM CLIKER. SOLUÇÕES COMPORTAMENTAIS E SOCIALIZAÇÃO COM OS DONOS.
.posts recentes

. Relacionamento entre cães...

. Psicologia canina

. Dobermann

. BOXER

. Rottweiler

. Retriever do Labrador

. COMO? E PORQUÊ? TREINAR....

. PASTOR ALEMÃO

. PITT BULL

. Treino de Obediência ( Pa...

.arquivos

. Abril 2007

. Março 2007

Terça-feira, 24 de Abril de 2007
Relacionamento entre cães e crianças

Este artigo aborda os cuidados a ter quando se juntam crianças e cães, nomeadamente no que toca a ataques e sua prevenção.  A maior parte de vítimas de ataques de cães são crianças. Estes ataques podem causar traumas, mas também podem ser evitados.

Por que é que os cães mordem e como é que nos avisam ?

Há muitas razões pelas quais um cão pode morder uma criança :

1 – Pode estar a guardar um objecto, comida, ou ninhada.
2 – Pode estar a proteger o dono ou a guardar a casa do dono.
3 – Pode estar assustado e sentir-se ameaçado de alguma forma se a criança se agarrar a ele, se se aproximar depressa demais, ou se se debruçar sobre ele.
4 – Pode estar ferido.
5 – A criança pode tê-lo magoado ou assustado através de pisar, ou puxar-lhe o pelo, cauda, ou orelhas.
6 – O cão não aprendeu a inibir a dentada e morde com força demais quando a criança lhe oferece um pedaço de comida ou brinquedo.
7 – A criança e o cão estão envolvidos numa brincadeira mais bruta e o cão fica excitado demais.
8 – O cão pode ver a criança como uma presa, se estiver a correr e a gritar perto dele.

Regra geral o cão avisa antes de morder, mas estes avisos podem ser tão subtis que muita gente não se apercebe deles. O cão pode parecer tolerar, por sistema, comportamentos incomodativos da criança e um dia morde apanhando toda a gente de surpresa. Sinais que não devem ser ignorados incluem :

1 – O cão levanta-se e afasta-se da criança.
2 – O cão vira a cabeça de maneira a evitar contacto visual com a criança.
3 – O cão boceja enquanto a criança se aproxima ou está a interagir com ele.
4 – O cão de repente começa a coçar-se ou a lamber-se.
5 – O cão revira os olhos expondo mais a parte branca.

publicado por caesbemtreinados às 20:33
link do post | comentar | ver comentários (1) | favorito
|
Psicologia canina
Desde os tempos pré-históricos que os humanos têm treinado o cão para desempenhar
várias tarefas em troca de comida e abrigo. As tarefas eram bastante naturais e instintivas, incluindo a caça e a guarda. A relação entre humano e cão era bastante simples, assim como ambos o eram na altura. Então, a humanidade iniciou o seu progresso, desde a saída das grutas à civilização, durante o qual o cão esteve sempre presente, adaptando-se e desempenhando novas tarefas, enquanto a relação entre ambos se complicava cada vez mais. 
Actualmente, vivemos num ambiente completamente diferente no qual a relação humano-cão está sob um grande stress. Hoje exigimos um cão com boas maneiras, uma mente estável, comportamento obediente, em vez das simples tarefas de outros tempos.

O aumento do número de cães e de gatos como animais de estimação e a sua concentração
nas cidades, obrigaram estes animais a viver em ambientes totalmente artificiais e a
se adaptarem ao ritmo de vida dos humanos. Por vezes, essas circunstâncias podem
causar problemas de conduta que tornam difícil a convivência entre as pessoas e os
seus animais, no ambiente que os rodeia.

As condutas instintivas dos cães mudaram muito pouco ao longo dos tempos. Os cães
domésticos e os cães selvagens ainda partilham muitas condutas instintivas e padrões
de comportamento de grupo. Mesmo com a criação selectiva efectuada pelo humanos
através dos anos, nada foi adicionado ao "desenho natural" do cão, apenas se
enfatizaram certas qualidades e se diminuíram outras, mas são características que
sempre estiveram presentes. Um treino e desenvolvimento de sucesso começa com o
conhecimento e compreensão dos nossos companheiros caninos, assim como a nossa
capacidade de usar psicologia canina.

O terapeuta comportamental pode ter um papel muito importante, ajudando o dono com
conhecimento sobre o seu animal, desde fisiologia do comportamento e anatomia,
aprendizagem e desenvolvimento. Igualmente, será importante na identificação e
correcção dos transtornos de comportamento, contribuindo para uma melhoria na qualidade
de vida do animal e da pessoa. O terapeuta pode identificar e diferenciar as condutas
patológicas de inadaptação, elaborar diagnósticos e possibilidades terapêuticas,
construir desenhos terapêuticos para a modificação de condutas alteradas, inadaptadas
ou patológicas.

É importante não esquecer que uma boa relação entre cão e humano tem como base o
Respeito, o Conhecimento, o Amor e a Confiança, de ambas as partes mas fomentado pelo
humano. Muitas vezes os problemas têm solução, não desista e procure alguém
especializado.
publicado por caesbemtreinados às 20:27
link do post | comentar | ver comentários (1) | favorito
|
Segunda-feira, 9 de Abril de 2007
Dobermann
Dobermann




Dobermann e sua fama de excelente defensor.

Dobermann

...... Correr e pular sem parar no portão ajuda a intimidar os passantes. É uma encenação desgastante que cansa fácil outras raças menos ágeis e mais pesadas - mas não um bom Dobermann. A raça também se destaca pela habilidade de saltar em todas as direções e desviar de chutes, tiros e facadas. Isso reduz a vulnerabilidade durante um confronto. E tem mais: com um salto rápido e certeiro, pode impedir que um bandido use uma arma. Suas qualidades físicas permitem ainda percorrer um terreno por um bom tempo sem se cansar. Essa capacidade é importantíssima para defender sítios ou terrenos industriais.

...... Um bom Dobermann também consegue correr em alta velocidade, o que facilita perseguições a invasores. "Quanto menor o tempo para trocar de passada e maior o passo, maior a velocidade e menor o gasto de energia", explica Peduti. Ou seja: o cão corre mais e se cansa menos. Flexibilidade é outra característica típica da raça: as pernas do Dobermann devem ser elásticas o suficiente para saltar com facilidade. Quanto maior a propulsão, maior o pulo. E isso também é fundamental numa perseguição, quando ele pode ter de transpor barreiras. Para desenvolver todas essas capacidades - agilidade, velocidade e flexibilidade - o Dobermann precisa ter um equilíbrio perfeito entre tamanho dos ossos, musculatura e encaixe das articulaçães. Mas nem sempre é isso que se vê.

Mordida

...... Uma das armas mais poderosas de um cão de guarda é a sua mordida. Num ataque, a capacidade de abocanhar corretamente, fixar os dentes e segurar a "presa" é o que faz a diferença entre o sucesso ou o fracasso. Por isso, o Dobermann deve ter mandíbulas fortes, e mordida ampla: o focinho tem de ser largo na região dos dentes da frente; e sua boca, quando aberta, deve alcançar até os molares. A dentição tem de ser completa, e a mordedura, em tesoura (os quatro dentes da frente da arcada superior devem se sobrepor aos quatro de baixo). Isso praticamente impossibilita retirar algo que esteja sendo mordido pelo cachorro, enquanto sua boca permanecer fechada. Ao lado dos dentes incisivos, os caninos, mais longos, funcionam como um travão que se finca e segura firme.

Soluções

...... Escolher um filhote que se transforme num adulto próximo da perfeição não é tarefa fácil nem para os especialistas, muito menos para um leigo. No Dobermann, a maioria dos defeitos é sutil, e outros não aparecem em filhotes novinhos. Com dois meses, um Dobermann já deve ser robusto e passar a impressão de força. Verifique a ossatura de braços e pernas, que devem ser grossos e proporcionais ao corpo. Mas ainda assim, nessa idade, tudo pode mudar e a garantia de uma ossatura adequada não é plena. É possível, ainda, fazer uma série de brincadeiras para testar o temperamento. Atire uma bolinha rasteira ao chão em um ambiente que não tenha barulhos ou movimentos que dispersem a atenção dos filhotes. Veja quais exemplares vão buscá-la. Esse teste serve para detectar como é o instinto de guarda do filhote. Descarte os que não forem atrás dela, pois mostram que não gostam de ser comandados. Jogar um molho de chaves no chão também é útil para ver a curiosidade e o destemor do filhote: mesmo com dois meses, não deve se assustar.

...... Isso é tudo que se pode observar no filhote até quatro meses. Daí em diante, já é possível analisá-lo de forma mais ampla. Observe os aprumos (pés têm de ser virados para a frente, e as pernas, paralelas); os metatarsos (osso entre os dedos e o calcanhar) têm de estar perfeitamente perpendiculares ao chão, quando vistos de trás. Observe ainda se as patas dianteiras estão muito apoiadas no chão, se os pés estão virados para dentro ou para fora, se os dedos são muito separados, e se os cotovelos estão muito perto do chão - todas essas características são indesejáveis. A movimentação também já pode ser verificada. Leve-os para caminhar por uns 20 metros e veja quais "trançam" as pernas (trançar uma ou duas vezes é normal; mais é sinal de problemas).

...... O melhor é comprar o filhote com seis meses ou mais. Nessa fase, suas características estão mais definidas, e a dentição já está completa. Para testar o instinto de guarda, por exemplo, ameace-o com uma vara enquanto ele está preso a uma coleira peitoral com a guia frouxa. Se ele procurar a proteção do dono, é sinal de medo e total insegurança; o correto é ele se aproximar com curiosidade, mostrando ser equilibrado e corajoso. O problema é que normalmente as ninhadas são vendidas antes dos seis meses.Mas procure sempre um especialista.

publicado por caesbemtreinados às 19:29
link do post | comentar | favorito
|
BOXER
Boxer




Boxer, grande companheiro e protetor.

Boxer


...... Ele une o útil ao agradável. É definido como alerta, corajoso, autoconfiante, forte, veloz e determinado. Tem uma extraordinária devoção à família, um instinto de proteção excepcional. A afeição que dedica às crianças é mundialmente conhecida. Quem convive com o Boxer percebe logo a sua boa índole e que age com as pessoas de fora sem a mesma agressividade que faz a fama das raças de guarda mais ostensivas.

...... Ao deparar com um estranho no portão, o Boxer costuma apenas observá-lo atentamente enquanto não se sentir ameaçado. Mesmo ao perceber algo suspeito não toma atitudes totalmente agressivas de início: prefere dar o alarme, latindo. Quando o visitante é bem recebido pelo dono, pode até mostrar-se amistoso e receptivo. Nada a ver com a reserva e desconfiança que conviria a um guardião linha-dura.

Saúde

...... Bastante saudável, o Boxer é resistente e fácil de cuidar. Mas está sujeito a alguns males genéticos. Entre eles, tumores. Mais da metade dos Boxers desenvolve algum tipo de tumor, a maioria benigno. Os mais comuns são o de pele e o de boca, embora os cânceres de mama, ovário e testículos também aconteçam. Costumam aparecer depois de 6 anos de idade. A solução pode ser cirúrgica ou quimioterápica. Estima-se que muitos Boxers vão apresentar em alguma fase de suas vidas a Hiperplasia da Gengiva. O mal é um crescimento anormal das gengivas que chega a cobrir os dentes, levando o cão a comer menos, especialmente alimentos duros. Esse excesso de gengiva é retirado por cirurgia. Outro problema genético, menos comum, é o crescimento anormal do coração: a Cardiomiopatia. Não há como conter a dilatação do músculo. A doença é fatal. "Apesar de o mal ser bastante freqüente, os sintomas podem demorar a aparecer e muitas vezes não é detectado. Em mais de cem cães atendidos. Os afetados se cansam com extrema facilidade, tossem, tornam-se apáticos e preferem passar boa parte do tempo deitados. Nos casos mais adiantados, é possível perceber uma dilatação abdominal. A confirmação do problema é feita com eletrocardiograma e ecocardiograma.

publicado por caesbemtreinados às 19:20
link do post | comentar | favorito
|
Rottweiler
Rottweiler


Rottweiller, um amigão.

Rottweiler


...... O Rottweiler é um cão de porte grande, nem pesado nem leve. Seu corpo é relativamente curto, compacto, robusto e intimidador.

...... É um excelente cão de guarda, pois é muito corajoso e ágil. Sua inteligência é notável e atende facilmente aos comandos que lhe são dados, desde que seu dono tenha tempo para ensiná-lo.

...... Quando adestrado corretamente, torna-se um cão protetor, devoto, dedicado ao trabalho e obediente, mas ao mesmo tempo não deixa de ser divertido, pois o Rottweiler possui um grande senso de humor.

...... Por causa de seu tamanho ele possui grande força, e necessita de bastante espaço, tendo que ser exercitado diariamente.

...... O rott não deve ser inquieto e nem nervoso.

...... A raça atingiu o seu grande auge em 1995, como o número um do País. O Rottweiler tornou-se nada mais nada menos que o cão com maior quantidade de filhotes registrados no país.

...... O rott está no Livro dos Recordes como o maior fenômeno de crescimento quantitativo assistido pela cinofilia.

Cuidados

...... O Rottweiler não requer muitos cuidados pois possui pelo curto, assim não tendo problemas de tosa ou escovação.

...... Mas é muito importante não se deixar intimidar pôr esta raça, devendo-se saber controla-lo, pois ele possui um instinto de dominância. O futuro comprador de um rottweiler deve estar ciente que ele deve se impor sobre a raça, mostrando ao cão que é você quem manda, que vc é o “líder da matilha”

...... É necessário firmeza para educar este cão, pois ele possui um temperamento forte. Mas o criador deve estar ciente também que criar com firmeza não quer dizer criar com agressão.

...... O dono deve começar a educar e mostrar firmeza ao cão desde de filhote, mostrando que ele têm limites e não pode fazer tudo. O dono pode achar bonitinho ele ficar brincando de morder um almofada quando filhote. Mas quando ele se tornar adulto pode virar um transtorno pois ele vai pensar que pode destruir a almofadinha que ele brincava quando filhote, ou até aquela bela mesa ou sofá.

...... Não se deve comprar um Rottweiler apenas pôr ser moda, pois ele não é um cão para ser comprado e largado no jardim, pois ele deve ser educado, e pôr isso o dono deve dispor ao seu cão um mínimo de 15 minutos diários para promover a relação cão e dono.

...... Deve-se começar adestrar este cão após os seis meses. Antes destes seis meses o dono deve apenas ensiná-lo onde deve defecar e fazer xixi e brincar bastante com ele.

...... Para mostrar ao filhote que o líder é você quando for brincar com ele tome os brinquedos de sua boca e não deixe que ele rosne. Ao brincar de cabo de guerra com seu cão vc deve sempre vencer para ele notar que vc é mais forte etc.

...... Impondo os limites ao cão e educando-o corretamente ele se torna um excelente cão de guarda e companheiro, pois têm bom humor e gosta de brincadeiras.

...... Basta disciplinar o comportamento do Rott desde pequeno e ele terá tudo para crescer um amigão companheiro da família, e também ganhará maior equilíbrio no desempenho da sua vocação principal: a guarda.

 

Saúde

...... O rottweiler como qualquer outra raça pode vir apresentar alguns problemas. Esta raça apresenta basicamente duas doenças com uma maior incidência: a gastroenterites e à displasia coxofemural.

...... O Rottweiler é muito suscetível às infecções virais. Para se evitar isso deve se ter um acompanhamento veterinário, para que o veterinário faça um esquema vacinal e de vermífugo que deve ser seguido corretamente.

...... Para tentar evitar estes problemas deve-se comprar o rott de um canil sério que tenha controle de doenças e venda seus cães com pedigree. Caso não saiba o pedigree é como uma certidão de nascimento.


 

publicado por caesbemtreinados às 19:15
link do post | comentar | ver comentários (1) | favorito
|
Retriever do Labrador
Retriever do Labrador




Labrador, o cão "família".

Retriever do Labrador


...... Ele é um companheiro de sucesso mundial. Mas há exemplares com comportamento muito diferente do esperado para raça.

...... Para muita gente, ele é a mais perfeita tradução de "melhor amigo do homem". Nos Estados Unidos - maior potência cinófila do planeta - e na Inglaterra - berço da cinofilia - o Retriever do Labrador é, há anos, o número um em popularidade. Tanto que ganhou o apelido de "cão da família", participando de todas as atividades dentro e fora de casa. Conforme diz o próprio padrão da raça, o Labrador típico é dedicado, facilmente adaptável, sociável, gentil, inteligente, muito obediente, sem nenhum traço de agressividade e com grande desejo de servir e agradar ao dono.

...... Essa lista de qualidades pode até parecer conversa de um bom vendedor, mas é avalizada, desde o início da raça, não apenas por criadores, mas também por adestradores, proprietários e estudiosos de cães. O Labrador é um retriever por natureza, ou seja, um cão que atua em dupla com o homem nas caçadas, acompanhando-o em todo o percurso. Ele espera o dono atirar na ave e depois, sob comando, vai buscá-la com rapidez, entregando-a intacta ao caçador e enfrentando qualquer tipo de obstáculo para cumprir a missão, seja na terra ou na água. Simplesmente seria impossível um cão ter êxito em todas essas tarefas se não tivesse as qualidades descritas pelo padrão. "A inteligência instintiva do Labrador envolve não apenas a habilidade de buscar a caça e marcar posições, mas também a capacidade de prestar muita atenção ao dono", ressaltou em entrevista à Cães & Cia o canadense Stanley Coren, psicólogo e treinador, autor do livro A Inteligência dos Cães. "É esse instinto que fez dele um cão solícito e com grande capacidade de comunicação com o homem", diz.

Harmonia

...... Dedicação e apego são marcas registradas da raça. Até mesmo criadores que têm muitos Labradores, os mantêm soltos, com livre acesso ao interior da casa, a maior parte do tempo. O Labrador exige um dono que o queira sempre perto e não o deixe abandonado no quintal, senão fica neurótico.

...... O Labrador procura atenção e aprovação, está sempre disposto a brincadeiras, mas sem exageros. Sabe quando solicitar atenção e quando ficar na dele. Adapta-se perfeitamente às nossas necessidades, o que é uma das principais vantagens como cão de companhia, Respeita as necessidades do dono e se contenta em estar ao lado dele.

...... Sua capacidade de viver em harmonia estende-se também a situações, locais e pessoas diferentes. Adora participar da rotina, mas não precisa dela. Viaja a qualquer lugar sem estranhar nada: comporta-se da mesma forma dentro ou longe da sua casa. Gosta de andar de carro: não passa mal nem incomoda o motorista.

...... Extremamente sociável, o Labrador se dá bem mesmo com pessoas estranhas. Faz parte do seu instinto. Mas é raro que as mate de propósito. A natureza amigável do Labrador facilita a convivência com cães do mesmo sexo: embora mantenha o instinto de disputa por território, comum a todas as raças, ele aprende a se controlar e dificilmente inicia algum confronto.

...... A "suavidade" da boca é outra qualidade muito valorizada na raça. Um bom Labrador nunca fere alguém intencionalmente e sequer deve destruir brinquedos - é claro que isso não se refere aos ossinhos e similares, feitos para serem roídos e até comidos. É calmo e paciente mesmo com crianças que fazem brincadeiras estabanadas. "As crianças pulam e rolam no chão com o Labrador e ele adora.

...... O Labrador é a sétima raça mais obediente do mundo. Ele pode aprender a acender a luz, trazer o jornal e abrir portas. É uma das poucas raças usadas como guia de cegos, a rapidez com que um Labrador assimila ordens e o interesse em não repetir um erro.

...... É também muito inteligente. Tem facilidade para compreender a linguagem humana, senso de observação e excelente memória. Mas pode usar sua inteligência em causa própria. É capaz de "arquitetar" planos. Se quer passar por algum lugar fechado.

...... Sai-se muito bem nadando ou acompanhando o dono em pedaladas e caminhadas. Marisa reservou uma parte de sua piscina só para eles se exercitarem.  A atração que sente pela água é irresistível. Mas deve ser ensinado a sair de uma piscina por uma escada especial.

publicado por caesbemtreinados às 19:04
link do post | comentar | ver comentários (12) | favorito
|
COMO? E PORQUÊ? TREINAR......
 

A altura mais importante na vida do seu cão é AGORA. O comportamento do seu cão está em constante mutação. O facto de ele ser bem comportado hoje, não quer dizer que fique assim para sempre. Novos problemas podem sempre desenvolver-se. Problemas existentes podem sempre piorar. 


Os cães são animais sociais e, sem o treino adequado, portar-se-ão como animais. Urinarão no chão de sua casa, destruirão os seus pertences, ladrarão excessivamente, cavarão, envolver-se-ão em lutas com outros cães e até o poderão morder a si. Quase todos os problemas comportamentais são actividades caninas perfeitamente normais que ocorrem na altura ou sítio errados ou são dirigidas às coisas erradas. Por exemplo, o cão evacuará na carpete em vez de lá fora; o cão ladrará toda a noite em vez de somente quando um estranho se aproxima da casa; ou o cão roerá a mobília em vez dos seus brinquedos. O truque para prevenir ou mesmo tratar problemas de comportamento é aprender a ensinar o cão a redireccionar o seu comportamento normal para coisas que sejam aceitáveis no ambiente doméstico.


Uma das melhores coisas que poderá fazer por si e pelo seu cão é o treino de obediência. O treino de obediência não resolve todos os problemas de comportamento, mas é a fundação para resolver quase todos os problemas. O treino abre uma linha de comunicação entre si e o seu cão. Comunicação efectiva é necessária para instruir o seu cão sobre o que quer que ele faça. Pode-lhe ensinar qualquer coisa, desde “fica” (não saias a correr pela porta da frente), a “senta” (não saltes às visitas), a “não mexe” (não roas a mobília; não apanhes isso do chão).


O treino é também uma maneira fácil de estabelecer a hierarquia social. Quando o seu cão obedece a um simples pedido de “vem cá, senta”, está a mostrar complacência e respeito por si. Não é necessário estabelecer-se a si próprio como líder da matilha usando medidas extremas. Pode ensinar o seu cão a mostrar-lhe submissão, ensinando-lhe a dar a pata, fingir de morto ou a dar beijinhos (tudo sinais de submissão). A maioria dos cães adora fazer os seus truques (comandos de obediência) para si, o que também demonstra calmamente que você está no comando.
O treino deve ser divertido e recompensante para si e para o seu cão. Pode enriquecer a vossa relação e fazer a vida em comum mais agradável. Um cão bem treinado é mais confiável e pode-lhe ser dada uma maior liberdade de movimentos, com maior segurança, do que a um animal não treinado.


Algumas pessoas debatem se é ou não possível treinar um cachorrinho, outras perguntam se é possível ensinar truques novos a cães velhos. A resposta a ambas as questões é um inequívoco SIM. Qualquer que seja a idade do seu cão, a melhor idade para começar a treiná-lo é AGORA!
Inscreva-se numa escola de obediência para aprender as bases. Mas a maior parte do ensino e treino pode e deve ser feito em casa. É melhor começar o treino numa área que seja familiar ao seu cão, e com a menor quantidade de distracções possível. Quando sentir que você e o seu cão estão ambos experientes em alguns comandos, leve esses comandos para diferentes áreas. Introduzir distracções pode parecer como começar tudo de novo, mas vale o esforço. Na realidade, que interessa se o seu cão faz um “deita-fica” quando ninguém está perto? O que precisa é um cão que o faça quando alguém está à porta. O que interessa se o seu cão faz um “junto” perfeito no seu quintal? Mas precisa de começar aí, se quer que eventualmente ele o faça quando vai com ele na rua.

Mantenha as sessões de treino curtas e carinhosas. É maçador programar sessões de treino longas e entediantes. Em alternativa, integre o treino na sua rotina diária. Faça o treino interessante e significativo para o seu cão. Se o Bobby insiste em segui-lo por toda a casa quando se prepara para o dia, então insista que ele tenha algo para fazer: “finge de morto”, para os cumprimentos quando acorda; “junto”, do quarto até à casa de banho; “deita-fica”, enquanto lava os dentes; “junto”, da casa de banho até à cozinha; “senta-fica”, enquanto prepara o pequeno almoço; “procura a bola”, enquanto você se veste. Agora “busca a trela” para ir à rua. “Senta”, quando a porta se abre; “senta” outra vez, quando a porta se fecha. E por aí fora. Faça com que o treino infiltre as actividades favoritas do seu cão e as actividades favoritas infiltrem o treino. As actividades favoritas do seu cão devem tornar-se treinos, de maneira a que o Treino seja a actividade favorita do seu cão.

publicado por caesbemtreinados às 16:42
link do post | comentar | favorito
|
PASTOR ALEMÃO

TRATAMENTO E TREINO DO PASTOR ALEMÃO

 

O Pastor Alemão, de uma forma geral, revela-se um bom aluno. Há que se fazer uma diferenciação entre educação e adestramento. A educação deve ser iniciada com o cão ainda filhote. Trata-se de corrigir hábitos e começar a preparar o pequeno Pastor para a convivência com pessoas e outros animais. Nunca permita que o cachorrinho faça aquilo que você não vai desejar ver um Pastor Alemão adulto - com cerca de 30 quilos e com a energia típica dessa raça - fazendo. Por exemplo, se você permitir que um filhote durma na sua cama ou que se deite no sofá da sala, será muito difícil mais tarde "explicar" ao seu cão adulto que ele não deve ter esse comportamento. Se você é uma pessoa paciente, tranquila e que dispõe de tempo suficiente, nada impede que inicie noções de treino básico ao seu cão.

Normalmente, o treino começa quando o Pastor tem quatro meses. O mais importante é você conversar com  pessoas mais experientes. Cada cão é um cão, com diferenças de temperamento que podem acelerar ou dificultar o adestramento. De qualquer forma, se recomenda que o Pastor Alemão, pela inteligência que possui, seja adestrado. É estimulante e recompensador estar acompanhado de um cão pronto a responder aos seus comandos. Um cão bem treinado não foge desesperado pelo meio da rua quando lhe soltam a trela, anda sempre junto ao dono e, especialmente, não irá criar problemas para você e outras pessoas. Cães selecionados - após passarem por provas com juízes especializados - sempre são adestrados. Você pode procurar um treinador nos classificados de jornais, mas é bom ter em mente que o adestramento é uma arte e requer cuidados especiais. Nem todos os cães se desenvolvem de forma satisfatória no treinamento. Nesse caso, nada melhor que um especialista, que se dedica exclusivamente a este ofício e que saberá os caminhos a seguir.

 

Por sua vocação ao trabalho, é um cão que precisa de muito exercício e, de preferência, passar por um treinamento para obediência. É capaz de acompanhar o seu dono por quilómetros durante o jogging ou mesmo durante passeios de bicicleta. Ágil, sai-se muito bem nas provas de agility, onde não apenas utiliza sua avantajada composição física, como pode exercitar-se mentalmente, já que precisa adaptar-se às mudanças do percurso a cada prova. Apesar disso, pode viver em apartamentos, desde que possa dar longos passeios várias vezes ao dia.

Para o treinamento para guarda, sugere-se que comece aos 4 meses, para que o cão adquira plena intimidade com o dono e cumpra adequadamente as funções de guarda-costas.

 

 

publicado por caesbemtreinados às 16:33
link do post | comentar | ver comentários (5) | favorito
|
PITT BULL

American Pit Bull Terrier


American Staffordshire

Pit Bull, o grande valente.

Pit Bull


...... O American Pit Bull Terrier, mais conhecido como Pit Bull, é uma raça que se tornou conhecida nos últimos tempos por causa da polêmica lei formulada em alguns países para impedir o perpetuamento da raça. No Brasil, projetos de lei similares estão em tramitação, gerando muitos protestos por parte de criadores e entidades de proteção animal.

...... Determinado ao extremo, o Pit Bull é inteligente e devotado a seus donos. É o grande atleta do mundo canino, sendo uma ótima companhia para proprietários que gostem de praticar esportes ao ar livre. O Pit Bull é um cão naturalmente afável com pessoas.

...... Ele foi desenvolvido para atuar como cão de combate, tendo a agressividade dirigida geralmente a outros cães. Mas embora seja capaz de dar a vida em defesa de seus donos, um exemplar naturalmente agressivo em relação a pessoas está fora dos padrões da raça e deve ser retirado da criação.

...... Embora vários exemplares se destaquem no serviço de guarda, não é recomendável treinar o Pit Bull para tal tarefa. O cão poderá ficar desequilibrado se treinado para defender seu território e enfrentar estranhos. Com a pelagem curta, esta raça não requer grandes cuidados de escovação. A boa alimentação é essencial para o crescimento deste animal. O dono deve estar atento também para não forçar o Pit Bull em outros exercícios que não caminhadas antes da idade de dois anos.

...... Conheça abaixo um pouco sobre a história e origem do American Pitbull Terrier

...... A história do desenvolvimento do Pit Bull tem início no século XVII. A origem da raça está ligada ao Bulldog, mas divide-se, basicamente, em duas vertentes. De acordo com uma delas, o Pit Bull seria exatamente o antigo Bulldog. A outra afirma que o Pit Bull é na verdade o aprimoramento do bull-and-terrier, ou half-and-half, um descendente do Bulldog.

...... Fotografias da segunda metade do século passado mostram claramente que bull-and-terrier (conhecido hoje como Staffordshire Bull Terrier) era o cão utilizado nas lutas de então na Inglaterra e que foi levado para os Estados Unidos. Assim, os ancestrais imediatos do Pit Bull foram os pit fighting dogs (cães de rinha) importados da Irlanda e Inglaterra a partir de meados do século XIX.

...... Nos EUA, a raça começou a divergir ligeiramente do objetivo que tinha nos seus países de origem. Os cães não foram utilizados apenas para rinhas, mas também como catch dogs - presa de gado e porcos desgarrados - e como guardas da propriedade e da família. Daí o ganho de peso da raça, o que não chegou a atrapalhar sua performance.

...... Nas mãos dos criadores norte-americanos, o Pit Bull alcançou uma grande popularidade. Esta projeção levou finalmente o American Kennel Club (AKC), a reconhecer, em 1935, o Pit Bull com o nome de Staffordshire Terrier. Este cão é hoje o American Staffordshire Terrier, para evitar confusão com o Staffordshire Bull Terrier - um cão menor e mais leve.

Saúde

...... Sendo um cão robusto e atlético, o Pit Bull não costuma ceder facilmente a doenças. Mas os exemplares podem apresentar as seguintes condições clínicas:

...... Displasia coxo-femural - A displasia coxo-femural é uma condição clínica comum, que consiste em uma alteração física na articulação entre o fêmur e a bacia do cão, causando, além de problemas de locomoção, dor e incômodo aos animais.

...... Atrofia progressiva da retina - Esta condição pode levar à cegueira total.

...... Dermatites - Sensibilidade a certas substâncias podem causar alergias e reações na pele.

Características

 
 
Nacionalidade: EUA
Porte: Médio
Temperamento: Submisso
Treinabilidade: Rigoroso
Grau de Proteção: Grande
Espaço Necessário: Grande
Altura Mínima: 38 cm
Altura Máxima: 55 cm
Peso Mínimo: 14 Kg
Peso Máximo: 35 Kg
Nível de Energia: Alto
Duração Exercícios Diários: 35 min.
Cor: Todas as cores
Tipo de Pêlo: Curto
Troca de Pêlo: Frequente
Necessidade de Tosa: Não


publicado por caesbemtreinados às 16:16
link do post | comentar | ver comentários (5) | favorito
|
.mais sobre mim
.pesquisar
 
.Abril 2007
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
25
26
27
28
29
30
.Fazer olhinhos
blogs SAPO
.subscrever feeds